EnglishPortugueseSpanish

A relação da cadeira com a experiência do paciente

O mercado odontológico brasileiro é um dos mais competitivos do mundo e se destacar nele é um desafio e objetivo para todos os dentistas. Uma forma de um dentista fidelizar seu público e ser bem indicado é proporcionando uma excelente experiência ao seu paciente. O que envolve diversos fatores que vão desde o ambiente físico da clínica até itens como localização e atendimento. No meio destes itens, existe um em específico que tem um grande peso na percepção do paciente quanto a sua experiência e é sobre ele que vamos falar nessa publicação.

É muito comum que clínicas em geral tenham a tendência de supervalorizar sua estrutura física, em especial o ambiente de espera, com a intenção de proporcionar conforto e bem-estar aos pacientes. O que de fato faz a diferença se pensarmos que a recepção e o ambiente de espera são os locais onde pacientes novos e antigos tem o primeiro contato com a estrutura da clínica. No entanto, se levarmos em conta que o ideal é que ele passe o menor tempo possível esperando pelo atendimento, nesse caso a maior parte da jornada do cliente na sua clínica se dará de fato durante os procedimentos, ou seja, na cadeira do dentista.

Tendo isso em mente, fica claro que precisamos dar uma atenção especial a este item do consultório. Agora não apenas por questões de ergonomia para o dentista, biossegurança para a clínica e performance no atendimento, mas também visando o conforto e experiência do paciente. Se é ali que ele passará maior parte do tempo, é ali que vamos ganhar sua confiança e fidelização.

Muitas pessoas carregam uma visão negativa de uma ida ao dentista, associando a momentos de medo e tensão. Embora essa sensação possa estar relacionada aos procedimentos em si e a possibilidade de sentir dor, verdade é que cadeiras duras, desconfortáveis, nada anatômicas, refletores com lâmpadas quentes, entre outros itens pouco ajudam para desassociar essa imagem. A chance de mudar essa percepção é gerando uma nova sensação ao paciente. Investindo naquele equipamento onde ele passará maior parte do tempo e terá o contato direto com o dentista.

Se na cabeça de alguns pacientes ir ao dentista ainda é algo ruim, será que ele pensaria igual depois de ser atendido em uma cadeira com estofamento macio e couro legítimo? E se essa cadeira tivesse massageador para aliviar ainda mais as tensões e um conector USB para que ele não precisasse ficar preocupado com a bateria do celular indo embora durante a consulta? Será que seria algo ruim de fato? Certamente a sensação seria outra. Mesmo que para certos pacientes o procedimento em si nunca deixe de ser um momento de tensão, o fato de eliminar outros fatores que potencializam essa tensão já é um grande diferencial.

É justamente pensando nessa experiência dos pacientes e na ergonomia para o melhor trabalho do dentista, que deve ser pautada a escolha de uma excelente cadeira odontológica para um consultório odontológico. Na Olsen criamos nossos produtos com critérios de segurança, ergonomia, conforto, qualidade e durabilidade. Para que o dentista possa ter sua melhor performance e entregar uma experiência única ao seu paciente.